sábado, 6 de agosto de 2011

Substância Misteriosa de Cor Laranja Aparece Numa Vila Remota do Alasca

Crédito: AP 2011

Substância gosmenta e misteriosa, de cor laranja, apareceu na vila de Kivalina, no Alasca. O vilarejo fica na costa noroeste cerca de mil quilômetros de Anchorage, Alaska. A Guarda Costeira diz que a substância não foi feita pelo homem e pode ser algum tipo de alga. Outros testes serão conduzidos.

A notícia atraiu todos os habitantes da cidade, ansiosos para dar uma olhada no fenômeno que cobria grande parte do porto e em seguida, na quarta-feira, começou a se espalhar por terra. No dia seguinte choveu e os moradores encontraram a substância laranja em cima dos reservatórios de chuva, que eles usam para coletar água potável. Também foi encontrado em um telhado, levando-os a acreditar foi espalhado pelo ar também.

Na sexta-feira, a substância laranja, da lagoa, havia se dissipado ou foi levada para o mar  e o que foi deixado em terra tinha secado e transformado-se em pó. Amostras da matéria laranja foram coletadas em frascos de conservas e enviadas para um laboratório em Anchorage para análise. Até que os resultados não sejam conhecidos, 374 habitantes de Kivalina, provavelmente continuarão a se perguntar o que exatamente aconteceu em sua aldeia.

"Certamente, neste momento é um mistério", disse Emanuel Hignutt, um químico da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Conservação do laboratório de Anchorage.

Kivalina, uma vila esquimó "Inupiat", está localizada na ponta de uma barreira de recifes a 12 km na costa noroeste do Alasca e fica localizado entre o Mar de Chukchi, ao norte com o Rio Kivalina, ao sul com o Rio Wulik.  Aldeões nunca viram nada parecido com isso antes e os anciãos nunca ouviram  nenhuma história de gerações passadas sobre uma substância de cor laranja que tenha atingido a cidade.

"Este é o primeiro evento deste tipo em Kivalina, que eu saiba", disse o vereador Austin Swan de 63 anos. 

Porções das amostras também serão enviadas para teste, na Universidade de Fairbanks do Alasca e para o laboratório Nacional de Administração Oceânica e Atmosférica na Carolina do Sul.

Hignutt disse: "Há certo número de especialistas nas áreas que podem identificar se é um material orgânico, ou o quer que seja esta substância, talvez não seja um material orgânico, mas vamos determinar o que é".  A Guarda Costeira já descartou a possibilidade de que a substância laranja, que algumas pessoas descreveram como tendo um aspecto pegajoso ao tocar, foi feita pelo homem, ou seja, algum derivado de petróleo. O que deixa como sendo as algas, como o melhor palpite, disse o administrador da aldeia, Janet Mitchell. A preocupação é o que o produto ou substância seja de alguma forma prejudicial.  Isto pode prejudicar a pesca e a caça que é 100% da subsistência da região.

Swan ajudou a coletar algumas amostras para testes e entrou dentro da lagoa. Ele pegou amostras da substância com luvas nas mãos. "A substância é muito leve, com uma espécie de pó na superfície, flutuando agrupada. Parecia fácil de empurrar assoprando e parte do material tinha um brilho, como se fosse petróleo, mas eu não pude sentir a textura de óleo".

Segundo Frances Douglas, um membro do conselho da cidade: "Quando o material se amontoava na lagoa, ele criou uma camada espessa de cor laranja brilhante. Quando o vento começou, ele acumulou alguns metros de largura. A cor era um laranja neon brilhante. Praticamente cobriu a extremidade sul da lagoa com faixas. Praticamente, todo mundo estava perplexo”.

Como a substância era desconhecida, as autoridades da cidade advertiram os moradores a manter as crianças longe da "gosma laranja" e pediram para os moradores, ferverem a água antes de beber, mas Mitchell disse que a água é outra preocupação, uma vez que a cidade não tem muita reserva, apenas dois tanques de água. Os tanques precisam ser enchidos durante o verão, através do Rio Wulik, para mantê-los durante o inverno. A cidade teve que parar o bombeamento, no último mês, antes da gosma aparecer, por causa de distúrbios da chuva. Agora eles tiveram que suspenderam o bombeamento até que descobrir o que esta substância é. E pelo que parece, Kivalina não esta sozinha, em relatar a estranha substância laranja. Shannon Melton disse que ela estava de barco no rio Buckland cerca de 241 quilômetros a sudeste de Kivalina, e o rio não estava com sua cor normal. Quando retornou ao rio na quinta-feira, disse que o rio tinha retornado a sua cor normal, mas alguns dos riachos fora do rio ainda tinham a cor laranja.



Fonte: Fox News

Leia a notícia em inglês AQUI

Tradução e adaptação de texto: A.Mace e Gério Ganimedes



Comentário do Autor
As coisas estão ficando muito esquisitas neste planeta e ninguém mais tem explicação para nada, ou têm e não querem falar?

A.Mace

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...