sábado, 3 de setembro de 2011

Eventos Climáticos Interligados Preocupam Cientistas

Bloqueio Omega - crédito: NASA


A bolha de proteção da Terra parece estar agindo de forma anômala. Seriam pressões da magnetosfera ou alterações geomagnéticas ou as próprias diferenças térmicas do planeta que estariam causando uma alteração climática sem precedentes?


Segundo estudo da NASA, incêndios florestais na Rússia e inundações no Paquistão foram causadas pelas mesmas condições atmosféricas, embora os eventos acontecerem a 1.500 quilômetros de distância, um do outro.

Dois dos desastres naturais mais extremos de 2010 foram causados pelo mesmo evento climático. A onda de calor e incêndios letais na Rússia e as inundações no Paquistão, foram causadas por comportamento anormal em uma onda atmosférica de agosto de 2010, dizem os pesquisadores, mas o que exatamente fez com que essa flutuação atmosférica se desviasse para longe dos padrões, permanece desconhecida.

Dados a partir da NASA mostram que um sistema de alterações e bloqueios atmosféricos causaram tanto a onda de calor da Rússia como as inundações no Paquistão em agosto de 2010.

O dilúvio no Paquistão: Áreas totalmente submersas como em Shahdadkot na província de Sindh, Paquistão.



Rússia: Cerca de 300 incêndios florestais com a onda de calor provocada pelaOnda de Rossby.



O que é a Onda de Rossby?

A atmosfera transparente formada de gases,  pode não parecer como líquido, mas é precisamente assim que se comporta, a fina camada de ar que envolve o planeta. Como a Terra gira sobre seu eixo, enormes rios de ar se movimentam formando ondas - os cientistas chamam estas, de “Ondas de Rossby”. Estas ondas serpenteiam ao redor do globo na direção oeste.  Correntes no centro destas ondas, formam as correntes de jato, movimento rápido de colunas de ar que empurram sistemas meteorológicos de oeste para leste. As “Ondas de Rossby” não são uniformes. Elas tendem a ondular e ter zonas de baixa e alta pressão. Áreas de baixa pressão normalmente se desenvolvem como calhas nas ondas, enquanto a alta pressão forma áreas em seus cumes.  Parcelas de ar quente dos trópicos e ar frio dos redemoinhos dos pólos agem em torno das partes de baixa e alta pressão das ondas criando uma tapeçaria complexa de frentes quentes e frias que se encontram e interagem constantemente. Estas colisões entre frentes quentes e frias produzem as tempestades e precipitação de água. (Fonte: NASA)

O evento climático produzido na Rússia, transformou-se no verão mais quente da história do país, provocou cerca de US $ 15 billiões em danos e matou um número estimado de 56.000 pessoas em mais de 300 incêndios florestais.



A inundação no Paquistão, submergiu um quinto da massa terrestre do país total - cerca de 307.374 milhas quadradas e causou um número de mortes de cerca de 2.000 pessoas, embora pessoas diretamente afetadas, chegou a um número de 20 milhões,  com destruição de propriedades.

Enquanto a onda de calor russa começou antes das inundações no Paquistão, ambos os eventos climáticos atingiram um pico de aproximadamente o mesmo tempo.



A descoberta foi feita através da análise de dados do MERRA (Modern Era Retrospective analysis for Research and Applications) – Análise Retrospectiva para Pesquisa e Aplicações, um instrumento da Nasa para medir a temperatura da superfície da terra, bem como a intensidade da chuva e qualquer atividade de incêndios.

"A partir de dados do satélite da Nasa e análise dos ventos, podemos ver claramente a ligação entre os dois eventos", disse William Lau, um cientista atmosférico da Nasa e co-autor do relatório, que foi publicado no Jornal de Hidrometeorologia.

"Pense na atmosfera como uma membrana solta. Se você empurrar uma peça para cima, outra coisa tem que descer em outro lugar".

"Se você produz um alto em uma região, você produz uma baixa correspondente no outro."

Em condições de verão usual o jato empurra frentes meteorológicas através de Eurasia em quatro ou cinco dias. No entanto, em agosto de 2010, o padrão climático sobre a Rússia estagnou no que é conhecido como um evento de bloqueio Omega, prendendo uma crista ou cume de altas pressões no lugar por muito tempoO "bloqueio" dividiu a corrente de jato, retardando o progresso do padrão de tempo enquanto se movia de leste a oesteO cume de alta pressão lento sobre a Rússia prendeu uma massa de ar seco e quente que a superfície de terra, já queimada, transformou-se em um barril de pólvoraAo mesmo tempo, o padrão de bloqueio levou a ventos incomuns que causaram uma baixa pressão , forçando o ar frio da Sibéria para o Paquistão.


Fonte de Pesquisa: Daily Mail – UK
Leia a matéria em inglês AQUI 
Tradução e adaptação de texto: Gério Ganimedes
Em continuação ao trabalho de A.Mace


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...