terça-feira, 20 de setembro de 2011

Justiça Italiana Julga Cientistas Por Não Terem Previsto Terremoto

6 de abril de 2009: Uma foto aérea fornecida pela Polícia italiana,
mostra os destroços de um prédio que desabou em uma área perto 
de L'Aquila, região central da Itália, após um forte terremoto 
ter sacudido a região central da Itália

Um grupo de cientistas italianos foi a julgamento nesta terça-feira (20), por não prever um terremoto que matou mais de 300 pessoas no centro da Itália em 2009, apesar dos sinais de atividade sísmica terem aumentado na área.

Os sete réus - seis cientistas e um funcionário do governo - são acusados
​​de homicídio culposo em um caso, que alguns vêem, como uma acusação injusta da ciência.

Os promotores dizem que os moradores ao redor da cidade de L'Aquila, na montanhosa região de Abruzzo deveriam ter sido avisados para fugir de suas casas, nos dias antes do terremoto.

"Nós simplesmente queremos justiça", disse o promotor Alfredo Rossini, de L'Aquila. As pessoas lesadas, estão pedindo 68 milhões de dólares  em danos.

Os acusados
​​eram membros de um quadro que tinha sido contratado, seis dias antes do terremoto, para avaliar os riscos depois, que centenas de tremores abalaram a cidade universitária medieval. Nessa reunião, uma comissão analisou os dados dos tremores, de baixa magnitude e determinaram que a atividade “não era” um prelúdio para um grande terremoto.

O único, dos sete arguidos presentes, em audiência nesta terça-feira foi Bernardi De Bernardinis, um ex-funcionário da Agência de Proteção Civil. Os outros acusados
​​são os cientistas de topo como Enzo Boschi, ex-diretor do Instituto de Geofísica e Vulcanologia Nacional da Itália, assim como Claudio Eva, um professor de física na Universidade de Gênova, no norte da Itália.

"Este é um julgamento que se abre sobre bases muito instáveis. Você não pode colocar a ciência a julgamento", Alfredo Biondi, advogado de Eva, disse.

O caso foi adiado até 01 de outubro, quando o julgamento vai começar a questionar as testemunhas.

Os especialistas são acusados
​​de dar informações muito reconfortantes para os moradores que poderiam ter tomado medidas de protecção adequadas se eles tivessem sido devidamente informados.

No entanto, em uma carta aberta ao presidente italiano, Giorgio Napolitano, mais de 5.000 cientistas disseram que os réus enfrentam acusações criminais por não prever terremotos, mesmo que esta continue ser uma situação tecnicamente impossível.

Vincenzo Vittorini, um médico que perdeu a esposa e filha no desastre, disse: "Espero que este julgamento mude as mentalidades e conduza a uma maior atenção dada à comunicação sobre os riscos. Ninguém esperava para ser contada a hora exata do terremoto, queríamos apenas ser avisados de que estávamos sentados em uma bomba ", acrescentou.

Cerca de 120.000 pessoas foram afetadas pelo terremoto de L'Aquila, que também destruiu o centro histórico da cidade e igrejas medievais.


Fonte: Fox News 
Leia a notícia em inglês AQUI 
Tradução e adaptação de texto: Gério Ganimedes


Comentário do Autor

Deveria virar modismo, esta atitude dos moradores e da justiça italiana, pois estamos diante de um quadro, onde não nos é comunicado nada,  sobre a crescente onda de abalos sísmicos no mundo todo. O problema, é que se este julgamento, demorar muito, não vai adiantar nada depois que o mundo todo, virar sucata de concreto e aço retorcido, sem ninguém vivo nas grandes cidades.

Gério Ganimedes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...