segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Nas Profundezas do Oceano


Cientistas descobrem no fundo do oceano "pontes" do outro lado da Trincheira Mariana - o lugar mais profundo da Terra


A Fossa das Marianas é o local mais profundo dos oceanos, atingindo 11.034 metros de profundidade. Localiza-se no Oceano Pacífico, a leste das Ilhas Marianas, na fronteira convergente entre as placas tectónicas do Pacífico e das Filipinas. Geologicamente, a fossa das Marianas é resultado geomorfológico de uma zona de subducção.

Geofísicos marinhos da Universidade de New Hampshire estão encontrando enormes "pontes" do outro lado da trincheira Mariana, que atravessam a trincheira cerca de um quilômetro acima do fundo do oceano.

As pontes são criadas quando as montanhas no leito do mar são puxadas para a crosta terrestre por enormes forças geológicas. As montanhas, que rasgam acima da placa do oceano Pacífico, formam "pontes" assim como a placa do Pacífico desaparece na crosta terrestre sob a placa filipina vizinha.

Segundo James Gardner cientista da Universidade de New Hampshire ,"Estas pontes não eram do conhecimento comum de todos". James foi quem descobriu as estruturas no relevo oceânico.

Uma das pontes foi detectada em baixa resolução nos anos oitenta, mas a equipe de Gardner fez mais três avistamentos, de acordo com OurAmazingPlanet.

Algumas das pontes chegam a subir até 2.000 metros acima da trincheira, e tem até 75 quilômetros de comprimento.

Os cientistas usaram um multi-feixe do “ecobatímetro” para mapear a área. Gardner diz que, pode haver vida nas 'pontes' - adaptadas para condições difíceis, de congelamento e pressão de até oito toneladas por polegada quadrada, entretanto este segmento ainda esta sendo observado e pesquisado.



Um navio hidrográfico da Marinha dos EUA recentemente, mapeou a trincheira Marianas do norte ao sul através de uma 'ecossonda multifeixe", um dispositivo padrão para mapear o fundo do oceano. O navio, associado a CCOM, o Centro de Coastal e Mapeamento do Oceano da Universidade de New Hampshire, mapeou toda a Fossa das Marianas a uma resolução de 100m.

“O instrumento permite mapear uma faixa de sondagens ao longo da linha de viagem do navio”, disse o Dr. Jim Gardner à BBC. “É como cortar a grama”.

Os investigadores estão examinando o processo, de como montanhas submarinas são “puxadas” para baixo da outra placa tectônica.

“Nossos dados mostram que elas estão ficando muito fraturadas”, disse o Dr. Gardner, “Assim que a Placa do Pacífico começa abaixar, ele racha a crosta velha, e então atravessa o monte submarino. Elas ficam espalhadas e aparadas, em seguida, são puxadas para baixo”.



Fonte: Daily Mail – UK
Ilustrações / Crédito: CCom - JHC
Leia a notícia em inglês AQUI
Tradução e adaptação de texto: Gério Ganimedes



Comentário do Autor

As recentes descobertas comprovam a interminável e cíclica transformação do relevo da Terra, tanto acima do nível dos mares, como nas profundezas dos oceanos. Estas estruturas, assim como, as ilhas que tem emergido em várias partes dos oceanos que cercam a Terra, nos apresentam um sinal de alerta, de que estamos vivendo um período de alterações na “casca” do planeta. Sejam estas mudanças cíclicas e naturais ou sendo causadas por repentinas forças ainda desconhecidas de nós, ou como consequência das constantes mudanças climáticas, correntes oceânicas, mudança da temperatura da água do mar, causada pelo aumento do degelo dos pólos, certamente devemos estar atentos a estas mensagens diretas da natureza. 

 

Gério Ganimedes
Direitos Reservados – Projeto Quartzo Azul©©
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...